PONTOS DE VENDA

PONTOS DE VENDA
PONTOS DE VENDA: União dos Escritores Angolanos; Rede de Supermercados KERO; Tabacaria GRILO (edifício do Mercado de Benguela); Livraria SUCAM, Benguela; Livrarias LELLO, MENSAGEM e na SALA DE EMBARQUE do AEROPORTO INTERNACIONAL 4 DE FEVEREIRO, Luanda

sexta-feira, 28 de novembro de 2008

Biografia

Biografia

Não havendo sobre mim

história a contar
os dois paragrafozinhos do meu passado
no presente anexai

O que se tem a contar

repousa na perplexidade
do futuro a desbravar

Toda a existência

é só um curso
de milhares de esforços a acumular

Gociante Patissa, In «Consulado do Vazio», Kat-Benguela, 2008

A vidraça e os lençóis

Foto de autor não identificado
Um casal, recém-casado, mudou-se para um bairro muito tranquilo. Na primeira manhã que passavam na casa, enquanto tomavam café, a mulher reparou através da janela em uma vizinha que pendurava lençóis no varal e comentou com o marido:
- Que lençóis sujos ela está a pendurar no varal! Se eu tivesse intimidade perguntaria se ela quer que eu a ensine a lavar a roupa!…


O marido, calado, ia escutando tudo.
Alguns dias depois, novamente, durante o café da manhã, a vizinha pendurava lençóis no varal e a mulher comentou com o marido:
- A nossa vizinha continua a pendurar os lençóis sujos! Se eu tivesse intimidade, perguntaria se ela quer que eu a ensine a lavar a roupa!
E assim, cada dois ou três dias, a mulher repetia o seu discurso, enquanto a vizinha estendia a roupa no varal.
Passado um mês, a mulher ficou surpreendida ao ver os lençóis muito brancos sendo estendidos e, toda empolgada, foi dizer ao marido:
- Olha, ela aprendeu a lavar a roupa! Será que a outra vizinha a ensinou? Porque eu não fiz nada!
O marido calmamente respondeu:
- Não, hoje eu levantei-me mais cedo e lavei os vidros da nossa janela!

Fonte: Agenda Jovem 2008 (missionários católicos)/ Foto: "roubada" na Internet

sábado, 22 de novembro de 2008

O anúncio

O dono de uma pequena fazenda, amigo do grande poeta Olavo Bilac, abordou-o na rua e disse-lhe:
- Senhor Bilac, estou a precisar de vender a minha fazenda, que o senhor tão bem conhece. Poderia redigir-me o anúncio para jornal?

Olavo Bilac pegou numa folha de papel e escreveu:
- “Vende-se encantadora propriedade, onde cantam os pássaros ao amanhecer no extenso arvoredo, cortada por cristalinas e marejantes águas de um ribeiro. A casa banhada pelo sol nascente oferece a sombra tranquila das tardes, na varanda”.


Meses depois, o poeta encontrou-se com o homem e perguntou-lhe:
- Então, conseguiu vender a sua fazenda?
- Nem pense maus nisso, disse o homem. Quando li o anúncio é que percebi a maravilha que tinha.

Moral da história:
Às vezes, não descobrimos as coisas boas que temos e vemos longe, atrás da miragem de falsos tesouros.


Fonte: Agenda Jovem 2008 (missionários católicos)

quarta-feira, 12 de novembro de 2008

poemas do meu dorso: "Inegociável"

A quem quer que me pedisse opinião
eu sei o que diria
e é há muito que o sei: um “NÃO!!!”
que a guerra é a maior porcaria

Gociante Patissa
Benguela, 12 Nov. 2008

segunda-feira, 10 de novembro de 2008

Calou-se mais uma voz

Miriam Makeba, 76 anos, faleceu ontem (09/11) na Itália em consequência de um ataque cardíaco. Sul-africana de nacionalidade, Makeba faz parte dos ícons da música do nosso continente, destacando-se do seu acervo os temas "malaika" e "pata-pata".